Dos primórdios aos modernos – nota de esclarecimento


iceberg-79389_960_720
Afundaram o Titanic – sim, o Titanic afundou, já tem tempo isso. Talvez seja interessante explicar o fato, para os mais desavisados ( não podemos nos descuidar “deles” ): o navio começou a ser construído em março de 1909 e foi lançado ao mar em maio de 1911. Foi projetado para ser, a sua época, o navio mais luxuoso e seguro do planeta e sua viagem inaugural só ocorreu em 10 de abril de 1912. Mas um fato especialmente sombrio, aguardava o Titanic para produzir história. A portentosa embarcação, colidiu com um iceberg às 23:40 de um sombrio 14 de abril, com mais de 1500 passageiros a bordo e; afundou na madrugada do dia seguinte…
Esclarecidos os fatos, podemos nos ater ao propósito deste texto! 


“Afundaram o Titanic”. Sob a ótica da 8ª maravilha do mundo , um filme absolutamente romântico , arrebatador na sua essência ; um clássico .Toda mulher romântica se vê envolvida pelo enredo , de vez que precisa tanto de amor , quanto de ar para respirar.

No filme, Jack e Rose formam as personagens centrais da trama. Pertencem a mundos distintos, poderíamos nos utilizar, salvo as proporções, das figuras emblemáticas, da rainha e do plebeu. Naturalmente que um contexto assim tão fortemente engendrado, fascina o imaginário humano desde que o mundo é mundo. São arestas a aparar e isso por si só, é fascinante.

Todo o enfrentamento social: apelo familiar
versus paixão , estão em jogo ( o que deve direcionar as decisões ? ) . Ainda pode-se contar com uma atmosfera providencial; tudo acontece dentro de um navio maravilhoso, na pompa e na elegância e aí; a aplicabilidade de uma paixão é elevada à décima potência!
Não existe a menor possibilidade de uma moça “bem nascida”, não ser atingida por uma flecha de encantamento.

Natural. São naturezas que não estão mais em voga nos noticiários. As relações de afeto ficaram em segundo plano no mundo moderno e em muito, isso se deve ao fato de que somos norteados por indicadores capitalistas e tendenciosamente não se avista meios de brecar essa desorganização do comportamento.

Mas ainda há esperança para alguns coraçõezinhos esburacados. Nem tudo está perdido.


Numa versão em muito , menos glamourosa , soltaram os bichos ( leia-se ” tigrões ” ) nos bailes funk , donde toda e qualquer letra esbarra em malfadados e enfadonhos versos musicados que erotizam e/ou sexualizam a mulher , seu único alvo . Essa mulher , abnegada de toda crendice  romântica e sim prática , usa de métodos persuasivos ( leia-se ” rebolativos ” ) para atrair os seus ” tigrões ” , os ” Jacks ” do funk .

Assim temos duas situações : a mulher romântica , em seu microcosmo de flores e amores e a funkeira , a ” cachorra ” e ” preparada ” penélope da atualidade . A primeira , sonha com príncipes em cavalos brancos ; a segunda , quer diversão , independente dos riscos , com o estereotipo dos muitos decotes e pouca roupa . É assim : a mulher romântica respira poesias , preocupa-se com o caráter e o sorriso inquebrantável no seu homem ; a segunda , recorre ao erotismo de suas curvas à mostra para ” fisgar ” o seu . Reflexo do que chamamos hoje de ” mídia ” ? Tudo tem seu preço no universo funk . Com coreografias voltadas para valorizar o seu ” derrier ” ( leia-se bumbum ) , a funkeira mostra a que veio , numa real alusão ao detrimento dos valores . Para a mulher romântica , trata-se de um : bem vindos à loucura !


Nota de esclarecimento, do autor:


o texto acima, tende a ilustrar as vicissitudes do comportamento humano frente às culturas de um mesma sociedade. Longe de mim insinuar e/ou manifestar a minha dificuldade de compreensão em relação às manifestações de ambiente, hora, local e razão.

Do meu ponto de vista,  tornam-se pífias, as possibilidades de qualquer pessoa sem acesso educacional de qualidade, que potencializem o seu entendimento e o  discurso; compor letras de manifestação estética/poética, providencial.

Em suma, em se vivendo em circunstâncias de desfavorecimento social de toda monta, escreve-se sobre os seus aspectos, suas vivências e há tudo de correto nisso. Do mesmo modo em que me pego apaixonado pela métrica do cordel e não me vejo habilitado para o mesmo expediente…

 

 

 

 

 

 

Anúncios

14 comentários sobre “Dos primórdios aos modernos – nota de esclarecimento

  1. Acho que o ser humano é extremamente complexo. Passo por isso, essa tentativa de entender os “porquês”, mas não me vem nada. Acredito que há um pouco de funkeira nas românticas assim como um pouco de romantismo nas funkeiras. Claro que não me refiro literalmente ao falar da música, afinal: “Talvez seja interessante explicar o fato, para os mais desavisados ( não podemos nos descuidar “deles” )” 😉
    Me recuso a acreditar que tenham desaparecido essas faces. Depois de muito trabalho de alguns amigos, cheguei a conclusão de que essa atitude (porque, pra mim se trata disso) é de agressão e é como se fosse o “é o que nos resta”. Vai do “é nóis” até o denigrir da mulher. Me parece mais, um tapa, completamente inconsciente, na sociedade. Não sei se me faço entender…
    Agora, veja bem, somos (ou éramos) educadas para ter um bom parceiro de vida. A romântica idealiza e atrai, a “cachorra” pega pelo pescoço. São as armas que se tem e as que se usa. Uma usa a “timidez” e a cultura (por ter cultura, já nem faz tanta questão do parceiro), a outra, por falta de cultura, não pode se dar ao luxo de ser tímida ou fica com nada. Se passa a vida tendo pouco, aprende a se contentar com pouco e me refiro aqui ao valor que SE dá.
    Então entra aqui questão de gênero, educação e outras coisas.
    Dizem que é uma cultura, acho que é falta dela. Mas o que eu sei?
    Adorei sua reflexão e é algo em que penso muito. Se deixar, ainda posso desenvolver mais teorias aqui. rsrs
    Bjooo Hang

    Curtido por 2 pessoas

    • Uau! Extasiado com as tuas elocubrações rsrsrs. É disso que sinto falta às vezes sabe? Discutir os “protocolos” em favor do razoável. Este texto me foi solicitado por uma revista e o tema era realmente espinhoso. Longe de mim a ideia de “causar” confusão, embora ter ficado bem preocupado com isso rsrsrs.
      Adorei os teus pontos de vista! Adorei você aqui, de novo! 🙂 Já te agradeci? Brigadúúú

      Curtido por 1 pessoa

  2. Valores, estão muito em falta na atual sociedade em que vivemos, e não só em casos como as relações, mais também os valores culturais e familiares… Em algum momento entre a criação e o agora, isso ficou pelo caminho e ninguém voltou para pegar… Algumas pessoas que passam levam um pouco para si e seguem adiante, outras pisam em cima! Eis o mundo em que vivemos, infelizmente!

    Curtido por 2 pessoas

    • Muito legal deixar a tua opinião Gil. Gostei disso: “em algum lugar entre a criação e o agora, isso ficou pelo caminho…”Penso igual; pode parecer saudosismo e talvez seja, mas, sigamos tentando fazer o melhor pelo conjunto da obra humana. Grande dia!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s