Enigma ( ou de como eu, de longe a vejo )


rocks-1031188_960_720

largo tempo na consciência
onde há espaço pra tudo
dos meus mais ensimesmados costumes
aos lumes das idéias inexecutáveis

fartos hiatos de eternidade
solidão é prato cheio
e o silêncio lambuza
as bordas frias

nas lacunas crio odes
preencho mistérios de marujo
e marejo e disfarço e desfaço
as minhas lágrimas brilhantes

a cada ato planejo e me aproximo
das tuas rochas e as toco
ao passo que és esfinge
e finges co’a tua incógnita

Anúncios

2 comentários sobre “Enigma ( ou de como eu, de longe a vejo )

  1. Oooo, alguém anda de mãos dadas com as Mitologias por aí hein!
    Ficou lindo! Melancólico, bem poeta.
    Mas que bom que você é um poeta das tristezas e das alegrias.
    Sempre se tem um pouco de cada, encantando um pouco de tudo.
    To voltando devagarzinho. rsrs
    Bjo Hang

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s